Conta a lenda que, para se ter sorte, é preciso comer um prato de nhoque no dia 29 sem esquecer de colocar uma nota de dinheiro debaixo do prato e mentalizar um pedido especial: "estou comendo este nhoque para que nunca me falte comida na mesa e dinheiro no bolso". O mais importante é fazer o pedido enquanto saboreia os sete primeiros nhoques e que o dinheiro fique guardado até o próximo dia 29, para garantir a fartura desejada. A lenda conta que num certo dia 29 São Pantaleão, vestido de andarilho, perambulava faminto por um vilarejo da Itália. De casa em casa, pedia comida e ninguém o atendia. Apenas uma família, que tinha pouca comida em casa, ajudou o pobre homem. Deram sete massinhas de nhoque para o andarilho e desta forma todos conseguiram se alimentar. São Pantaleão comeu, agradeceu e desejou sorte à família, antes de partir. Quando foram recolher os pratos descobriam que havia moedas embaixo de cada prato.

Todo mundo quer provar o nhoque de mandioquinha da Jéssica!

Nem todo mundo sabe, mas a Jéssica já participou do Programa É de Casa, da Rede Globo. Ela foi convidada para cozinhar ao vivo e escolheu o seu prato favorito, nhoque de mandioquinha, para ensinar ao público. Receita que ela aprendeu com uma professora de gastronomia que é muito querida pela família Bellatucci, a Reymi Myazi.

Desde então, o prato favorito tornou-se seu carro-chefe e até foi um dos muitos empurrões que a levaram à abertura do Bellatucci. Depois da participar do programa, choveram pessoas convidando a Jéssica para cozinhar na casa delas ou demonstrando muita vontade em provar o prato.

Daí, a sementinha foi crescendo em seu coração: “se tanta gente quer provar, por que não posso ter um restaurante e vendê-lo?” Por isso que quando o Bellatucci nasceu, mesmo com um cardápio de almoço bem reduzido (que já está sendo ampliando devido ao aumento da clientela #TksLord!), o nhoque entrou na parada.

Não fixamos ele no menu diário porque dá trabalho! A Jéssica faz a massa artesanalmente e faz questão de moldar “cada cobrinha” – como ela mesmo diz – e cortar bolinha por bolinha igualmente. Aliás, até descascar a mandioquinha ela gosta. Esse é um processo que ela faz do começo ao fim. Da mandioquinha descascada até o molho de calabresa levemente apimentado. Ela conta com ajuda? Sim, claro! Qual cozinheiro – ou chef, como queiram – não conta? Mas o nhoque é feito essencialmente por ela.

Logo no nosso mês de inauguração, dia 29, conhecido pelo Dia do Nhoque da Fortuna, foi um sábado. Decidimos aproveitar o ensejo e realizar a primeira “Nhocada da Jéssica”. Não foi fácil. Ela (e toda a equipe) trabalhou duro a semana toda e ralou no dia do evento para tudo sair direitinho. Deu medo? Deu! Tivemos falhas? Tivemos. Mas aprendemos, nos aprimoramos e no dia 29 de setembro tudo já foi mais fácil.

E, para nossa felicidade, as pessoas começaram a nos procurar para realizar almoços de grupos fechados – com o nhoque de mandioquinha como prato principal – e está sendo muito legal fazer esses eventos! Nesse mês, abrimos as portas do Bellatucci em dois Domingos seguidos para comemorar o aniversário da Regina e do Davi, respectivamente.

Foram experiências muito bacanas e estamos melhorando a cada uma delas. Já temos mais duas nhocadas marcadas para grupos fechados no mês que vem! E todo dia 29 vamos ter nhocada no Bellatucci. Esse mês foi fechado para o aniversário do Davi, mas em novembro teremos nhoque no almoço para quem quiser seguir a tradição.

Vou confessar aqui para vocês que eu nunca tinha feito a simpatia do nhoque até dia 29 de setembro, na nossa segunda nhocada. O primeiro evento foi uma loucura, a equipe ficou só com vontade de nhoque! Mas no segundo, conseguimos almoçar e também fazer a simpatia. E olha só, não é que outubro foi um mês ótimo, cheio de novos clientes e eventos? Pelo sim ou pelo não, agora em outubro, comemos o nhoque divino da Jéssica com a notinha debaixo do prato. Vamos ver o que nos aguarda em novembro!

Para quem não conhece a lenda do Dia do Nhoque da Fortuna, aí vai:

Conta a tradição que, para se ter sorte, é preciso comer um prato de nhoque no dia 29 com uma nota de dinheiro debaixo do prato. A lenda conta que num certo dia 29 São Pantaleão, vestido de andarilho, perambulava faminto por um vilarejo da Itália. De casa em casa, pedia comida. Uma família humilde decidiu ajudá-lo e dividiu a refeição com ele. Foram exatas sete bolinhas de nhoque para cada um que estava a mesa. São Pantaleão comeu, agradeceu e desejou sorte à família, antes de partir e, pelo gesto de gratidão e caridade, deixou moedas embaixo de cada prato.

O que achou da história? Já a conhecia? Se você já segue a tradição, taí um ótimo motivo para almoçar com a gente no próximo dia 29. E para quem nunca a fez, que tal testar aqui no Bellatucci?

Se quiser fazer seu evento, não precisa esperar ser um dia 29, não! Venha saborear o nhoque de mandiquinha da Jéssica e celebrar deliciosos momentos com seus amigos e familiares aqui. Quem já fez, recomenda. Teremos muito prazer em recebê-los!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *